O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Inscreva-se para a 2ª turma da Jornada de Liderança.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






27/01/2004
RH » Comunicação » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Comunicação interna

Por Ronaldo Marques para o RH.com.br

A imagem que os funcionários têm de sua própria organização é a base da imagem externa da empresa. Não existe melhor estratégia de comunicação do que transformar seus funcionários em verdadeiros embaixadores de sua empresa. Parece simples!

Existe uma diferença marcante entre a teoria dos livros texto e a realidade do dia-a-dia das organizações. Nos livros texto, as organizações são descritas como se fossem umas máquinas bem azeitadas. Todos que trabalham na organização conhecem a visão e estão focados na implementação da missão. As pessoas estão sempre satisfeitas. A ansiedade é baixa e o moral é alto. As pessoas interagem entre si sem fricção alguma, formando equipes auto-sustentáveis. Não é poético?

Por que então é comum, hoje em dia, encontrar empresas onde as pessoas vivem constantemente apagando incêndios, frustradas, estressadas e cansadas no seu ambiente de trabalho?

A edição de n° 800 da revista Exame em matéria de capa ilustra bem o fato "Dois em cada três executivos já pensam em mudar de emprego - um problema para as pessoas e para as empresas?".

Esses sintomas evidenciam que as organizações - hoje em dia - não têm uma estratégia de relacionamento com seus funcionários. E como diria o ditado "quando você não tem direção, qualquer estrada te leva a lugar nenhum".

Outros estudos também fornecem mais evidência de que as lideranças das empresas precisam restaurar a credibilidade de seus esforços de comunicação com seus funcionários:

* um estudo recente (2002) da Mercer Human Resource Consulting, mostra que somente um terço dos 2.600 trabalhadores pesquisados concorda com a afirmação "Eu posso confiar que a liderança de minha organização irá sempre se comunicar com honestidade".
* outro estudo da Walker Information Group (2002) com funcionários de grandes organizações encontrou que somente 49% deles acreditavam que a direção de suas empresas era formada por "pessoas de alta integridade".

Quando analisamos o assunto da perspectiva das lideranças as sete justificativas mais freqüentes para problemas de comunicação são:
1) excesso de informação;
2) falta de envolvimento e participação das pessoas;
3) falhas na comunicação;
4) inconsistência das mensagens;
5) pouco de trabalho em equipe;
6) dificuldade em personalizar as mensagens para os diferentes níveis de funcionários;
7) integração da comunicação no processo de planejamento da empresa.

Na realidade, estas desculpas são uma enorme hipocrisia na medida em que a principal razão reside no fato de que as lideranças não praticam seu discurso ou como diriam os americanos "Walk the Talk". Não existe hipocrisia maior do que um programa tipo "fale com o presidente", no qual a correspondência a ele dirigida é respondida por terceiros.

Comunicação interna é como ser um pai na educação dos filhos: é preciso primeiro acreditar no discurso (credibilidade) dar o exemplo, (praticar) para poder influenciar o comportamento dos filhos (funcionários).

Parte da solução está em entender que a comunicação interna é um esporte coletivo, ou seja, não pode ser função deste ou daquele departamento. É função de todos! Principalmente do profissional de Recursos Humanos e de treinamento. Da diretoria ao chão da fábrica, a comunicação interna deve ser considerada questão de "segurança nacional" e deve ser implementada por quem tem a responsabilidade de praticar, diariamente, os princípios de Recursos Humanos da organização.

A comunicação interna é também um esporte de contato. Os programas e as ferramentas de comunicação existentes são apenas isso - ferramentas - que não podem nunca substituir o contato e a relação pessoal. Desde a primeira entrevista de orientação de um novo funcionário até à entrevista de desligamento de outro funcionário, o contato humano é fundamental e insubstituível.

A comunicação interna é uma via de mão dupla, portanto, tão importante como comunicar é saber escutar. Escutar com sinceridade e genuíno interesse em agir sobre a informação recebida.

Os 5 "C's" de uma comunicação interna eficaz são:
* clara;
* consistente;
* contínua e freqüente;
* curta e rápida e
* completa.

Comunicação interna é ter foco em poucas mensagens, porque não se pode ser tudo para todos ao mesmo tempo! Comunicação é fator de satisfação. As pesquisas de satisfação e clima do público interno precisam medir necessariamente se as mensagens da organização estão gerando credibilidade e prática dos valores da organização. Somente assim, serão gerados o envolvimento, o compromisso e a prática das mensagens.

As lideranças devem, portanto, liderar o processo de comunicação interna, motivar suas pessoas para que se engajem ao processo e acima de tudo, dar as ferramentas, os treinamentos e os recursos (tempo, gente e dinheiro) que irão construir o que eu chamo de uma caderneta de confiança, que como uma caderneta de poupança só deve receber depósitos. Ou seja, construir relacionamentos com seus funcionários: informar, persuadir, envolver e motivar funcionários constroem o negócio para os acionistas e deveria ser a prioridade n° 1 de qualquer líder empresarial, nos dias de hoje.

Palavras-chave: | comunicação |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (5)
Joseane em 20/05/2011:
Adorei, pois é um texto que traz uma forma diferente na abordagem do tema. Percebi que o autor consegue emitir para o receptor de forma clara e objetiva o que é uma comunicação empresarial sem tornar a leitura cansativa. Essa é a verdadeira comunicação. Parabéns

Maria Bernadette Marques em 13/05/2010:
Gostei muito do seu texto! Nem sempre temos a oportunidade de ler um excelente conteúdo, de forma clara e objetiva. Sou empresária da área de Gestão Empresarial, lido muito com RH e uma de minhas especializações é em comunicação empresarial! Parabéns pelo artigo, e faço um convite para que leia minha coluna no portal, Nós da Comunicação. Abraços!

Arlayne Nascimento em 15/11/2009:
Sou Gerente de recursos humanos de uma empresa, formada em comunicação social(relações públicas).Desde já, parabenizo o autor desse texto, pela objetividade, originalidade, criatividade, que o texto trasmite. Particulamente não tinha lido sobre comunicação interna de forma tão clara e precisa, um modo diferente de analisar a comunicação interna, ao invés desses textos e artigos que semprem abordam a mesma teoria, onde o leitor não obtém uma satisfação, ou seja, o prazer e a clareza da leitura de forma tão precisa. obrigada pela atenção e parabéns!

Flávia Gonçalves em 05/11/2009:
Gostei muito do texto. Ele é claro e tem uma abordagem diferente dos outros textos que pesquisei, acrescentando outras idéias ao que sempre se comenta sobre comunicação.

Aline Carlesso em 11/06/2009:
Sou aluna de Relações Públicas e para um RP em uma empresa é essencial a Comunicação Interna.O texto está muito bem construído e consegue passar muito bem sua idéia! Adorei, parabéns!

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

3ª Jornada Virtual de Recursos Humanos

Programa de Autodesenvolvimento



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.