O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Participante, assista e certifique a Jornada de Liderança!
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






26/06/2012
RH » Comunicação » Entrevista Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Por que a comunicação eficaz gera resultados positivos?

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

Ao contrário do que muitos possam imaginar, a ação de comunicar não se resume apenas a proferir um número expressivo de palavras, mas sim ter a capacidade de fazer o outro lado compreender aquilo que realmente queremos expressar, sem que haja qualquer tipo interpretação errônea. Segundo Reinaldo Passadori, professor e diretor do Instituto Passadori de Educação Corporativa, o ser humano se comunica para descobrir sua essência e ampliar a própria consciência. Conferencista, especialista em desenvolvimento humano, comportamento e carreira. e autor dos livros: "Comunicação Essencial - Estratégias Eficazes para Encantar seus Ouvintes" - Editora Gente, "As 7 Dimensões da Comunicação Verbal" - Editora Gente e "Media Training" - Comunicação Eficaz com a imprensa e a Sociedade - Editora Gente, Reinaldo Passadori concedeu entrevista ao RH.com.br, onde focou a importância da comunicação na vida das pessoas, inclusive no dia a dia organizacional. "A comunicação educa, influencia, persuade, seduz, lidera, gera resultados. Precisamos, no entanto, desenvolvê-la continuamente por meio de recursos técnicos, atitudinais e comportamentais", argumenta. Pontos relevantes são abordados sobre a comunicação no ambiente corporativo, inclusive as consequências que uma distorção na informação pode causar à empresa quando as pessoas não se fazem compreender corretamente. Confira a entrevista na íntegra e tenha uma agradável leitura.

 

RH.com.br - Hoje, a comunicação é considerada como uma das principais competências que influenciam a contratação de um profissional e um dos fatores que contribuem o futuro de uma carreira. Por que tanto valor tem sido dado à comunicação?
Reinaldo Passadori - No mundo corporativo, em especial em atividades relacionadas à liderança, vendas, negociações, relacionamentos, é exigido que cada profissional tenha habilidades complementares, além das técnicas específicas de sua profissão. Destaca-se sobremaneira a de comunicação, principalmente comunicação em público, pois diante desse novo cenário no qual vivemos, os profissionais deixam de ser apenas executores de atividades repetitivas para assumirem novas ações, exigidas pelas próprias circunstâncias.


RH - A comunicação é vista como um fator preocupante para a Gestão de Pessoas?
Reinaldo Passadori - A comunicação é determinante, hoje, em qualquer setor, especialmente na Gestão de Pessoas, e a liderança é uma dessas especificidades, pois quem não comunica, não lidera. Perceber o outro na sua dimensão real, saber se ajustar aos diversos tipos e estilos de pessoas, dominar técnicas de oratória e de retórica, saber utilizar a voz e dominar a expressão corporal potencializam o poder de influência no impacto de uma apresentação. Creio que todos os líderes precisam ter a consciência da importância da sua capacidade comunicativa e aperfeiçoá-la continuamente. Vejamos: um líder orienta, influencia, solicita, cobra, explica, ensina, motiva, pede, direciona e redireciona, exemplifica, estabelece objetivos e metas, leva as pessoas e o seu grupo a resultados esperados. Sua influência define o clima organizacional, a colaboração dos seus liderados, o envolvimento e o comprometimento de cada um dos participantes do grupo. Por isso tudo, destaco a importância de desenvolver a habilidade de comunicação na Gestão de Pessoas.


RH - Quais os principais obstáculos que as pessoas encontram para alcançarem uma comunicação eficaz?
Reinaldo Passadori - A comunicação se processa quando uma pessoa fala e a outra entende o que foi dito. Aparentemente simples esse processo apresenta, na prática, uma série de pequenos detalhes que podem gerar ruídos no processo da comunicação. Alguns dos problemas que podem gerar ruídos: fala demasiadamente objetiva ou prolixa; dicção ruim de quem fala; velocidade acelerada ou lenta demais; linearidade, gerando monotonia e desatenção; ausência de gestos, expressão corporal e uso da voz incongruentes com o conteúdo; desorganização das ideias; vocabulário limitado; tom agressivo ou irônico ao falar; presença de vícios de linguagem como, por exemplo, tá..., né..., tipo assim..., certo...; não dominar recursos técnicos ou eletrônicos como microfone, recursos audiovisuais e outros. Obviamente se o comunicador não tem essas limitações consegue um melhor resultado no processo da comunicação assertiva.


RH - A dificuldade de se comunicar bem é evidenciada em todas as esferas hierárquicas?
Reinaldo Passadori - São inúmeros os transtornos que a comunicação mal praticada pode causar nas organizações porque ela acontece a todo tempo, em todos os setores e níveis hierárquicos. Nascemos nos comunicando, querendo passar mensagem. Hoje, independente do nível hierárquico, devemos nos comunicar de forma assertiva e eficaz. A comunicação é uma das principais competências necessárias a todo ser humano, principalmente no mundo em que vivemos, numa época de constantes mudanças em que as empresas estão dando cada vez mais valor a isso. É uma competência fundamental para o profissional moderno que quer se dar bem no mercado de trabalho. Cada vez mais, as pessoas estão tomando consciência disso e buscando aperfeiçoar suas habilidades de comunicação. Os objetivos podem ser vários: obter uma interlocução mais positiva, melhorar as relações interpessoais, melhorar o processo de liderança ou aprimorar o contato com o público.


RH - Quais os problemas mais comuns que a falta de uma comunicação causa às organizações?
Reinaldo Passadori - A falta de comunicação é um dos principais problemas encontrados nas companhias. A comunicação falha pode trazer sérias consequências à equipe, impactando no desempenho e na produtividade dos profissionais e, obviamente, interferindo diretamente no negócio da empresa. Quanto menos informação as pessoas tiverem em relação aos processos da empresa, maiores são as chances para boatos, muitas vezes, inconsistentes, mas que acabam prejudicando resultados, já que as pessoas ficam abaladas emocionalmente, por imaginar situações que podem nem existir. Acredito que o principal problema seja a falta de alinhamento entre os princípios organizações da empresa com que o colaborador acredita. É necessário estar condizente com os objetivos para que o discurso seja o mesmo em toda a empresa.


RH - No dia a dia, como a área de RH pode auxiliar os colaboradores a desenvolverem uma boa comunicação?
Reinaldo Passadori - Hoje, em muitas empresas, a responsabilidade de gerenciar a comunicação, em especial a interna, fica a cargo de profissionais de comunicação, que conhecem as ferramentas adequadas e as melhores estratégias. Porém, nas companhias em que o RH ainda gerencia a comunicação, o departamento deve ser o facilitador desse processo. Muitos profissionais não têm consciência de como estão comunicando-se e que em diversos casos essa má comunicação compromete até mesmo a própria imagem da empresa. A área de Recursos Humanos ou de Comunicação deve estimular esses profissionais, por meio de feedbacks e de treinamentos para que possam desenvolver e aprimorar a habilidade de se comunicar bem. Em alguns casos observamos que há gestores que não sabem dar retorno adequado às pessoas.


RH -
Quais são as principais ferramentas que as organizações têm utilizado para melhorar a comunicação entre seus profissionais?
Reinaldo Passadori - As empresas enxergaram a necessidade de ter colaboradores cada vez mais preparados e por isso identificam e investem naqueles que possuem potencial de desenvolver um bom trabalho. São muitas as maneiras e as ferramentas utilizadas para maximizar a comunicação, pois as empresas sabem hoje que o público estratégico delas são os colaboradores, pessoas multiplicadoras que representam a companhia.


RH - Em seu trabalho, o senhor sempre afirma que a comunicação possui sete dimensões. Quais seriam?
Reinaldo Passadori - Os requisitos básicos podem ser sintetizados em sete aspectos, que chamamos de As 7 dimensões da Comunicação Verbal. São elas:
Comunicação intrapessoal - Trata da autoestima, autoconhecimento, percepção das qualidades já existentes e, se conscientes, refletem segurança, calma, autocontrole.
Comunicação interpessoal - Aborda a percepção do outro, nas suas reais condições, nos seus momentos psicológicos, considerando cultura, tradições, temperamento, para a partir dessa percepção ajustarmos nossa linguagem para haver uma real interação com elas.
Voz - Instrumento que precisa sempre ser afinado e ajustado por meio de exercícios, para que tenhamos boa dicção, clareza, musicalidade e teatralização, tornando nossa fala envolvente e encantadora, expressando as emoções adequadamente.
Expressão corporal - Envolvendo os gestos, a expressão facial, a postura, a elegância, nosso marketing pessoal, o olhar e a coerência entre o que falamos e como expressamos por meio do nosso corpo aquilo que falamos.
Técnicas envolvendo o ambiente, recursos audiovisuais - Toda a parafernália eletrônica utilizada em uma apresentação, além da iluminação, disposição da sala, ar-condicionado, fios, cabos, tomadas, etc.
Dimensão intelectual - Correspondente à estruturação do pensamento, como começar, desenvolver e concluir uma apresentação, sabendo utilizar a gramática, o vocabulário, eliminando os vícios de linguagem e coerência no desenvolvimento dos pensamentos.
Dimensão espiritual - Que foca os valores, a responsabilidade social, sustentabilidade e congruência entre o que a pessoa fala e faz. Ela evoca a percepção que cada um tem, ou deveria ter, sobre a responsabilidade de tornar o mundo cada vez melhor para se viver e a preocupação com as pessoas, no seu desenvolvimento como um todo.

 

RH - Dessas dimensões citadas, há alguma mais relevante ou todas se encontram niveladas?
Reinaldo Passadori - Todas possuem o mesmo grau de importância, porém, a aplicação de cada uma das dimensões vai de acordo com as características e as necessidades de cada pessoa ou empresa. Por isso, não podemos afirmar que umas ou duas são mais relevantes. É relativo.


RH - De que maneira é possível viabilizar o desenvolvimento dessas sete dimensões da comunicação?
Reinaldo Passadori - Devemos perceber a comunicação como um diferencial competitivo dos mais singulares para as organizações. Comunicamos para expressar necessidades e compartilhar experiências, para cooperar, nos organizar e melhorar nossa performance. Comunicamo-nos para descobrir nossa essência e ampliar nossa consciência, para entrarmos em contato com o infinito e buscarmos o divino. A comunicação educa, influencia, persuade, seduz, lidera, gera resultados. Precisamos, no entanto, desenvolvê-la continuamente por meio de recursos técnicos, atitudinais e comportamentais. Nesse aprendizado, partimos da autogestão da dimensão física - voz, corpo -, depois mental - comunicação intelectual e técnica -, na sequencia emocional - comunicações intra e interpessoal -, e finalmente com a evolução progressiva, a espiritual, assim completando as Sete Dimensões da Comunicação Verbal. Lembre-se de que o conhecimento só se torna válido quando ele é compartilhado e a evolução acontece quando tiramos proveito desse conhecimento, transformando-o em sabedoria e a utilizamos na nossa vida prática para a nossa realização pessoal, social e profissional.

 

Palavras-chave: | Reinaldo Passadori | comunicação interna | comunicação interpessoal |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (1)
Ricardo Chaves em 05/07/2012:
Excelente entrevista, o assunto abordado é de grande importância para quem deseja desenvolver sua comunicação no âmbito pessoal e profissional. Parabéns, Patrícia Bispo

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Programa de Autodesenvolvimento

3ª Jornada Virtual de Recursos Humanos



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.