O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Inscreva-se para a 2ª turma da Jornada de Liderança.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






27/11/2006
RH » Desempenho » Entrevista Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Você sabe como alcançar suas metas?

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

Ter um norte, determinar ações para alcançar um sonho tão desejado e seguir em frente, superando obstáculos e os imprevistos que surgem a cada dia. Essa linha de pensamento não serve apenas para quem traça metas pessoais, mas também serve de base para aqueles que fazem um planejamento estratégico e precisam conquistar resultados. Ao contrário do que muitos imaginam, as metas pessoais e organizacionais possuem características comuns como, por exemplo, ter prazos congruentes com o que se deseja alcançar. "Meta é um alvo que desejamos atingir. E para atingi-lo é necessário que tenhamos nosso foco visual, mental e emocional concentrado nesse alvo", afirma o consultor organizacional Ômar Souki. Escritor, conferencista e autor de 17 livros que têm como objetivo promover o desenvolvimento das pessoas e das empresas, Ômar afirma que no universo corporativo as metas ambiciosas exigem investimentos cada vez mais elevados em treinamento e motivação destinados aos colaboradores, assim como em campanhas de marketing. Em entrevista concedida ao RH.com.br, o consultor explica como as empresas podem ajudar os profissionais a atingirem e superar metas, mesmo diante de fatores que possam interferir direta ou indiretamente no negócio. Nesse contexto, o profissional de Recursos Humanos tem atuação fundamental. Confira e aproveite a leitura.

RH.com.br - Na sua visão, qual a melhor definição para "metas"?
Ômar Souki - Visualize um alvo e um arqueiro. O alvo está a 50 metros do arqueiro. Ele estica o arco e segura firmemente a flecha. Solta a flecha e essa, viajando a uma incrível velocidade, atinge o alvo bem no centro. Ele é um exímio arqueiro e é aplaudido pelos colegas. Atingiu a sua meta. Agora coloque uma venda nos olhos do arqueiro. Indique mais ou menos onde está o alvo e peça a ele que solte a flecha. Será que a flecha irá atingir o alvo? É pouco provável. Meta, portanto, é um alvo que desejamos atingir. E para atingi-lo é absolutamente necessário que tenhamos nosso foco visual, mental e emocional concentrado nesse alvo. Enfim, quando nos dedicamos à conquista de uma meta é necessário esquecer todo o resto.

RH - As metas pessoais e as relacionadas ao universo corporativo têm características em comum?
Ômar Souki - A empresa é composta de pessoas. A diferença entre as empresas que prosperam e as que fecham, encontra-se nas pessoas. Pessoas excelentes sabem como promover o sucesso de suas organizações. Para isso, elas estabelecem metas ambiciosas para si mesmas, para suas equipes e para a empresa. Existem algumas características comuns às metas pessoais e empresariais e podemos citar as seguintes: ambas são bem definidas e bem quantificadas; ambiciosas, mas realistas; possuem prazos congruentes com o que se deseja atingir; são divulgadas à exaustão; e implicam em crescimento pessoal e profissional, que podem resultar em recompensas financeiras e ou morais.

RH - A competitividade é cada vez mais acirrada. Com isso, as empresas determinam metas e, muitas vezes, os profissionais não conseguem atingi-las. Que fatores as organizações devem considerar ao traçar metas para os colaboradores?
Ômar Souki - É importante saber se a empresa está realmente disposta a pagar o preço necessário para que as metas sejam atingidas. Metas ambiciosas exigem investimentos cada vez mais elevados em treinamento e motivação do pessoal, assim como em campanhas de marketing. A empresa deve, portanto, oferecer, juntamente com as metas, os instrumentos necessários para atingi-las. Esses instrumentos estão ligados à qualidade do marketing que ela realiza junto aos clientes, tanto internos quanto externos. Os resultados estimulados pelo treinamento e pela motivação do pessoal interno devem ser sustentados por investimentos em campanhas inteligentes de marketing para fortalecer a marca junto ao cliente externo.

RH - Esses fatores que o Sr. acabou de citar podem ser tomados como base por qualquer empresa ou cada caso possui peculiaridades?
Ômar Souki - Independente do setor é preciso que haja motivação e otimismo. Motivação é a vontade de fazer acontecer e o otimismo é a expectativa positiva de que as coisas vão acontecer como queremos. Para o público interno, isso é, colaboradores da empresa, sugiro doses maciças de motivação e otimismo. E para o público externo, isso é, os clientes da empresa, investimentos em marketing para valorizar a marca. Em qualquer ramo de atividade temos que contar com colaboradores otimistas e motivados e com clientes que desejem adquirir nossa marca.

RH - Traçar metas é um processo unilateral ou deve ser um processo realizado em conjunto com os colaboradores?
Ômar Souki - As metas surgem na mente dos líderes. Os líderes têm uma percepção mais ampla, mais estratégica, do caminho a ser percorrido pela organização, por isso são eles que estabelecem as metas. Já a elaboração do planejamento e das estratégias deve envolver os colaboradores. Deve ser um envolvimento autêntico, para que as pessoas se sintam parte do processo e se motivem a conquistar as metas propostas. É importante que a empresa inclua os colaborados tanto na elaboração das estratégias quanto na distribuição dos resultados. A participação dos colaboradores nos lucros tem sido um fator preponderante do sucesso de várias empresas. Bill Gates, desde a fundação da Microsoft, distribuiu lucros e disponibilizou ações para seu pessoal. Ele disse que essas iniciativas foram fundamentais para o extraordinário sucesso de sua empresa.

RH - Qual o erro mais comum e ao mesmo tempo perigoso que as empresas cometem ao traçar metas?
Ômar Souki - Quando recomendo às pessoas a traçarem metas, digo que as metas devem ser ambiciosas o bastante para nos motivarmos em direção a elas, e também atingíveis para evitar a frustração. E, antes de qualquer coisa, devemos investir em nossa capacitação. Estabelecer metas é um processo simples, mas para atingi-las temos que investir em nosso crescimento pessoal e profissional. Na empresa é o mesmo: criar metas e não dar o suporte necessário tanto em treinamento quanto em fortalecimento de marca cria frustração nos colaboradores.

RH - Estimular o espírito de equipe é fator indispensável para o alcance ou mesmo a superação de metas?
Ômar Souki - Um ser humano sozinho consegue fazer muito, mas indiscutivelmente, ao se associar a outros consegue, literalmente, mover montanhas. Existe um poder sobre-humano na sinergia. Quando as pessoas se unem com um propósito comum conseguem realizar verdadeiros milagres. Por isso, é fundamental estimular a cooperação entre os colaboradores. Claro que teremos problemas de relacionamentos na empresa. Isso é comum. Faz parte. O erro é focar demais nas rusgas e implicâncias de uns com os outros. Importante para estimular esse espírito é promover reuniões sociais e festas fora do ambiente de trabalho. Nesses momentos de descontração os desentendimentos são esquecidos e as arestas, aparadas.

RH - Qual a importância do gestor nesse contexto?
Ômar Souki - Fundamental. O líder está ali para estimular o entendimento e o espírito de equipe. Ele deve lembrar a todos que somente a cooperação os levará a atingir e, até mesmo, a superar as metas estabelecidas. Uma vez conquistados esses propósitos, todos serão beneficiados. Por isso, quanto maior a harmonia dentro das equipes, melhor. O papel principal do líder, em minha opinião, é o de motivar e facilitar o bom entendimento entre os membros de sua equipe.

RH - Quando um líder observa que sua equipe não apresenta o desempenho esperado, esse é o momento de ser flexível e rever as metas determinadas?
Ômar Souki - Nesse caso, o líder deve ter a lucidez de identificar porque as metas não foram atingidas. Será que é um problema só da equipe, ou será que a empresa também falhou? Ou pode ser um problema relacionado com o desempenho da economia em geral. É preciso que o líder tenha discernimento para ver onde é que houve a falha, de quem foi a responsabilidade pelo desempenho fraco e fazer as devidas correções.

RH - Redefinir as metas é sinal de fraqueza ou de estratégia?
Ômar Souki - É preciso ser realista. Os processos que envolvem seres humanos têm que dispor de uma boa dose de flexibilidade. Acidentes e imprevistos acontecem. Portanto, quando as metas não são atingidas isso não significa necessariamente fraqueza. Pode significar apenas que as condições iniciais mudaram. Talvez a empresa não tenha dimensionado corretamente o investimento necessário para ampliar seu mercado. Pode ser que participantes importantes do time saíram e foram para a concorrência. Nesses momentos é preciso uma boa dose de humildade e de paciência para corrigir os erros e retomar o rumo.

RH - A presença efetiva da área de RH na estratégia da empresa, pode ser considerada um fator determinante para o atingimento ou a superação das metas dos profissionais?
Ômar Souki - O sucesso de qualquer planejamento estratégico vai depender do recrutamento das pessoas certas e do treinamento freqüente delas. Ao pensar nas empresas modelos nas quais já atuei, percebo um investimento constante no aprimoramento dos métodos de recrutamento - para achar a pessoa certa para o lugar certo - e no investimento maciço em treinamento e desenvolvimento de seus clientes internos. Quanto maior a satisfação do cliente interno, maior será a satisfação do cliente externo. A área de RH tem um papel fundamental em incrementar essa sinergia entre os públicos internos e externos da empresa. É justamente essa sinergia que levará a empresa não só a atingir suas metas, mas até mesmo a superá-las.

Palavras-chave: | metas | Ômar Souki | desempenho |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (1)
Jose Antonio Toral em 11/07/2009:
Ótimo! Uma aula de gestão. Obrigado!

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

3ª Jornada Virtual de Recursos Humanos

Programa de Autodesenvolvimento



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.