O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Participe do 8º Congresso de RH pela Internet.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






01/03/2011
RH » Grupos » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Gerações X, Y e Z!

Por Wagner Campos para o RH.com.br

O assunto relacionado ao conflito das gerações existentes tem sido abordado com grande frequência em todo o mundo. No Brasil, talvez com um pequeno atraso, mas também tem se preocupado com esta identificação e tentativa de equilíbrio entre as gerações.

A geração X (idades entre 30 e 45 anos) enfrenta algumas dificuldades em se adaptar à geração Y (idades entre 20 a 30 anos) e vice-versa. A geração X é preocupada com o conhecimento, a experiência e o foco. A geração Y tende a fazer várias coisas ao mesmo tempo. Em 60 segundos já conseguiram pesquisar na internet, conversar com 10 pessoas simultaneamente no MSN, mandaram várias mensagens no celular, atenderam ao telefone e ficam dando palpites sobre a mensagem que o outro colega mandou em um dos 25 e-mails que ele acabou de ler. É..., esta turminha da geração Y é muito aceleradinha.

Com a facilidade da experiência e de conhecimento, a geração X tem maior facilidade de acesso aos postos de trabalho. Mas como toda instituição é orgânica, tende a crescer e se adaptar às tendências de mercado e rapidamente absorve a turminha da geração Y. É neste momento que começam alguns impasses. Eventualmente, a geração X não está preparada para treinar e ser substituída futuramente pela geração Y e, esta última, acredita ser mais prática que a geração X e que pode ser muito mais ágil.
E a empresa? Fica igual pano em boca de vaca! Se puxar rasga se soltar engole, ou seja, se der prioridade para a geração X poderá vir a se estagnar. Se der maior atenção apenas às sugestões e às ações da geração Y pode deixar de desenvolver estratégias competitivas importantes para a empresa, uma vez que a geração X domina a informação e tem grande experiência.

É necessário então, desenvolver um clima de cooperação organizacional, ou seja, envolver as gerações X e Y de forma que uma esteja preparada para respeitar as diferenças existentes e aprender uma com a outra, pois há muito conhecimento que pode ser trocado entre as duas gerações, cada um à sua realidade. O equilíbrio deste relacionamento é imprescindível para o sucesso. A geração X ainda tem muito para contribuir e precisará conviver com a geração Y por muito tempo. A geração Y vai se adaptar e entender a importância da cultura organizacional e do comportamento interpessoal e ambas vão colaborar para o aumento de seu próprio desenvolvimento. No entanto, sempre será necessária a existência do respeito.

E se ambas acreditavam que bastava romper este paradigma e tudo se resolveria, precisam estar preparados para os nativos digitais, ou seja, os que nasceram no final dos anos 90 e estão, hoje, com aproximadamente 17 anos. Ainda mais agitados que a geração Y, são impacientes e acostumados com a agilidade do mundo virtual, têm muito que aprender sobre pessoas, comportamento e análise, mas estarão muito melhor conectados com o mundo, do que qualquer outro.

Estes estão literalmente "no outro lado da linha". Amigos virtuais, conversas virtuais... A adequação deste novo perfil será muito mais delicada, pois não têm a mesma flexibilidade que as demais gerações. Mas, serão imprescindíveis futuramente, pois estes mesmos futuros profissionais são também o alvo da maioria das empresas e para entender sobre este mercado, nada mais adequado que lidar com este perfil, também, dentro de sua instituição!

 

 

Palavras-chave: | geração Y | equipe |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (7)
Neverton Nascimento em 25/03/2011:
Muito bom esse contexto. Relacionar as gerações sobre os aspectos comportamentais, tem sido um dos fatores muito importante para flexibilizar e lidar com essas diferenças. Assim, a Organização garante melhores colaboradores e resultados numa pespectiva de neutralizar os conflitos.

Eduardo Reis de Souza em 19/03/2011:
Show de bola!!! Pessoal, essas gerações de pessoas com ideias, pensamentos diferentes, são magníficas, e trabalhadas adequadamente, será um grande diferencial competitivo para organização.

Cristiane Chagas em 13/03/2011:
Bom dia. Gostei muito da abordagem sobre os conflitos das gerações. Acredito que a a geração Y tem muito a contribuir com sua agilidade, ousadia e flexibilidade perante as novas tendências e mudanças do mundo corporativo, mas creio que a geração X seja imprescindível dentro desse contexto, pois há de haver o equiblibrio entre as duas e futuras gerações para alcance de objetivos e resultados. Abraços.

Edem Beiriz em 12/03/2011:
Parabéns pela matéria! Para quem trabalha com consultoria empresarial, é impressionante observar esta realidade dentro de muitas empresas. E o que é pior, esta luta pelo espaço entre as gerações acaba prejudicando e muito o crescimento da empresa. De um lado observo que a geração X insiste em tentar interromper o brilho e o entusiasmos da geração Y. A internet ainda é um bicho de 7 cabeças para a geração X, que afirma categoricamente, que a internet atrapalho o desenvolvimento do trabalho. E por ai vai. Precisamos despertar a geração X, para serem mais flexíveis e procurar aproveitar o entusiasmo e motivação da geração Y e Z e, sobretudo, acompanhar a evolução da tecnologia, tendo a geração Y como parceiro e não como uma ameaça. Obrigada pela matéria, vou encaminhá-la aos meus amigos da geração X.

Bruno em 10/03/2011:
Sem dúvida a organização deve estar atenta a todas as pessoas, pois cada ser humano tem uma necessidade diferente. O clima é realmente complicado quando um profissional com o perfil Y cai em um departamento que possui apenas o perfil X, pois os mais experientes tem dificuldade em assumir que precisam de fato aprender coisas novas e que não estamos mais no século passado, pois muitos direitos foram conquistados e muitos avanços tecnológicos realizados.

Ivone Chassot Greis em 10/03/2011:
As colocações são muito procedentes. Parece que precisa mais. Temos a necessidade de entendermos cada vez melhor as gerações para tirarmos todos os proveitos. Textos sobre este assunto serão bem vindos. Parabéns

Fátima em 10/03/2011:
Prezado Wagner Campos, gostei muito do seu artigo. A abordagem é clara, objetiva e atual. Parabéns! Abraços Fátima Holanda

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Seminários RH.com.br

8º ConviRH



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.