O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Conheça os cursos online e os eventos virtuais do RH.com.br
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






09/10/2012
RH » Grupos » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Como anda o seu equilíbrio emocional no trabalho?

Por Denise de Moura para o RH.com.br

Passamos cerca de oito horas no ambiente de trabalho, convivendo com pessoas muito diferentes da nossa forma de pensar e agir. Isso pode gerar alguns atritos. Ter equilíbrio emocional, sobretudo nos momentos de adversidade é fundamental para que as questões sejam resolvidas de forma assertiva.

Confira abaixo quatro situações que podem ocorrer em ambientes corporativos e que o deixarão mais estressado. Veja como se sair dessas armadilhas com equilíbrio emocional.

1. Você descobre que um colega está fazendo intrigas sobre você para outras pessoas do seu setor. A sua primeira atitude é:
Tirar satisfações de forma grosseira com esse colega na frente de todo o grupo.

Ao ter essa reação intempestiva, você provavelmente será rotulado como um profissional desequilibrado emocionalmente. Guarde a sua raiva, conte até 10 e, quando estiver mais calmo, converse com esse colega em um local reservado. Pergunte a ele o que está acontecendo e diga que não gostaria que esse incidente se repetisse. Seja direto, assertivo, mas tenha calma e educação ao se comunicar. Se o problema persistir, converse com o seu superior.

2. Você está sobrecarregado e o seu chefe acabou de lhe passar mais alguns "pepinos" da empresa para você resolver. A sua primeira atitude é:
Dizer para as pessoas à sua volta que o seu chefe não tem ideia do que seja prioridade ou ir até a sala dele reclamar de que está sobrecarregado.

Se o seu chefe não lhe passasse nenhuma atividade ou não lhe dê-se atenção, você também reclamaria, correto? Então, em primeiro lugar, veja isso como um ponto positivo. Se você pode resolver os problemas da empresa, é porque confiam em seu trabalho. Ponto para você! Se o seu chefe está exagerando nas demandas, sente com ele, mostre suas atividades diárias e tente negociar um prazo maior para atendê-las. Ficar apenas no campo da reclamação não resolverá a questão.

3. O seu colega ao lado explana de forma brilhante para o seu chefe uma ideia que você desenvolveu sozinho. Diante desta situação, sua primeira atitude é:
Dizer na frente de ambos que a ideia foi sua, desmentindo o seu colega.

Já vi uma situação destas acontecer e sabe o que o gerente respondeu: "Aqui não tem ideia sua ou minha, a ideia é do grupo". Pronto! Essa pessoa foi considerada controladora e egoísta.

É óbvio que se outra pessoa tem recebido elogios por projetos que foram criados por você, alguma coisa está errada. Proponha uma conversa franca com o seu colega em uma sala reservada, buscando entender o que realmente está ocorrendo. Após os esclarecimentos, definam a melhor forma de apresentar as ideias da área.

4. Você ficou sabendo neste instante que, mais uma vez, não será promovido este ano, diferentemente dos seus colegas que sempre ganham a tão desejada promoção. A sua primeira atitude neste caso é:

Esbravejar-se, dizer para os colegas que não vai mais trabalhar, mostrando o quanto os programas de reconhecimento da sua empresa são injustos. Ou ainda, entrar na sala do seu chefe e tirar satisfação do resultado.

Você deve sim entrar na sala do seu chefe, mas de forma tranquila. Coloque-o como corresponsável da sua insatisfação. Peça a ele que lhe diga os motivos pelos quais não foi promovido e quais competências precisa desenvolver para ganhar a promoção no próximo ano.

É de suma importância manter o equilíbrio emocional nos momentos de adversidade. Somente assim você conseguirá tratar os problemas de forma racional, tirando-os do campo emocional.

No meu livro Cansei de Sofrer no Trabalho, recém-publicado pela Qualitymark Editora, dou várias dicas como estas, de como agir nos momentos de grande estresse na empresa.

 

Palavras-chave: | gestão de comportamento | emoção | equipe | conflito |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (2)
maria girlane nobre de souza em 11/10/2012:
Excelente artigo. Já passei por uma das situações narradas no seu artigo e confesso que perdi o meu autocontrole, porém, com o tempo o adquiri e hoje sei lidar com situações adversas. Parabéns. Pretendo adquiri o seu livro

Prof. Paulo Pfeil em 10/10/2012:
O artigo acima de Denise de Moura sobre equilíbrio emocional no trabalho, tanto se aplica à ambientes corporativos como os acadêmicos e educacionais, em geral, que é o meu caso. Excelente!

PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Curso Online do RH.com.br

Curso Online do RH.com.br



PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.