O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






13/11/2012
RH » Grupos » Dicas Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Por que a fofoca prejudica empresa e colaboradores?

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

O significado para a expressão "fofoca" pode ser descrito de várias formas: "Conversa informal e, geralmente, distorcida sobre a vida alheia", "Informação distorcida que ganha velocidade através de canais informais", "Conteúdo infundado de uma conversa de quem não tem algo melhor para fazer". Ao contrário do que muitos possam imaginar, a fofoca não está restrita apenas às festinhas, aos encontros de amigos que se reúnem para colocar a "conversa em dia". Infelizmente, esse vilão da comunicação também está presente no dia a dia de muitas empresas e se não for rapidamente neutralizado talvez gere consequências negativas tanto para a vida das pessoas quanto das empresas. Confira abaixo, porque a fofoca é sempre tão prejudicial.

1 - Quando presente no ambiente de trabalho, a fofoca provoca instabilidade emocional nos profissionais, uma vez que as pessoas tendem a ficar tensas porque não sabem se o que escutam "pelos corredores" tem algum fundo de verdade. Vale lembrar que a fofoca tanto ter como foco alguns profissionais isoladamente quanto a própria empresa. Tomemos como exemplo, uma organização que passa por um processo de mudanças e precisa fazer mudanças estruturais, mas sem que sejam realizados desligamentos. Durante um período como esses, é suficiente um gerente ausentar-se por alguns dias, por motivos de força maior como problemas de saúde, para que outros departamentos comecem a cogitar a possibilidade de que ele foi demitido.

2 - A fofoca prejudica a imagem da empresa fica prejudicada diante dos funcionários e isso é um começo para desestabilizar a credibilidade existente na relação empresa-funcionário. Um exemplo simples: a instabilidade do mercado prejudicou momentaneamente o segmento de atuação da empresa. Basta que alguém que tenha uma boa oratória comece a comentar nos corredores que as ações do mercado estão caindo e que isso logo afetará a organização em que atuam. Alguns profissionais podem questionar: "Por que não nos comunicam e pedem nossa ajudam para apresentarmos ideias, propostas que possam ajudar o negócio? Não confiam na nossa capacidade?". Caso a empresa não estabeleça uma linha de comunicação com as equipe, outros rumores certamente surgirão.

3 - Os conflitos tendem a ocorrerem com mais frequência entre os profissionais, uma vez que o "disse me disse" sempre faz vítimas e acaba até mesmo com longas amizades. Suponhamos que uma fofoca tenha como centro das atenções um profissional e esse saiba os rumores que "correm pelos corredores" a respeito dele. Dificilmente ele conseguirá ver os fofoqueiros com bons olhos, após o que aconteceu.

4 - Em determinados casos, os atritos que ocorrem no trabalho podem culminar em problemas pessoais para os profissionais. Isso porque uma vez que tensos, eles levam o estresse para casa e isso pode prejudicar o relacionamento dos colaboradores até mesmo dentro do ambiente familiar. Não é fácil deixar a empresa e trancar a tensão vivida o dia todo "dentro de uma gaveta".

5 - Qualidade de vida no ambiente de trabalho é prejudicada. Fofocas não são saudáveis nem para o clima, tampouco para as pessoas. Os índices de estresse podem se acentuar em um local que dê margens às informações infundadas, que denigram a imagem da empresa e das pessoas que nela atuam.

6 - A fofoca produz um efeito dominó. Dentro desse contexto surge a queda da produtividade, uma vez que as pessoas passam a usar o tempo que deveria ser dedicado às suas atividades, a momentos de conversas infundadas. Lembremos ainda que a diminuição da performance também pode se apresentar em quem foi alvo da fofoca, já que essa passou a ter a sua imagem denigrida.

7 - Uma empresa em que a fofoca ganha espaço, perde talentos. Afinal, quem não trocaria um ambiente de trabalho conturbado por um local de trabalho saudável?

8 - Mentes ocupadas com informações que não merecem credibilidade alguma deixam de se dedicarem ao desenvolvimento profissional. E quando um colaborador desvia sua atenção para o aprimoramento de novas competências, perde o talento e, logicamente, a empresa que precisa contar com profissionais atualizados e competitivos.

9 - Uma vez desmotivado pelo clima infectado de fofocas, a empresa abre as portas para o aumento dos índices de absenteísmo - ausência dos profissionais do ambiente de trabalho -, como também do presenteísmo - quando o colaborador está presente fisicamente no ambiente de trabalho, mas não se dedica às suas atividades.

10 - Quando a fofoca instala-se no ambiente de trabalho e se torna um "hábito", a perda do espírito de equipe surge como consequência. E como se sabe, esse é considerado um dos combustíveis indispensáveis para que uma empresa torne-se competitiva e ofereça serviços que superem as expectativas dos clientes externos.

 

Palavras-chave: | conflito | comunicação interna |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (6)
arlenezancanelli@yahoo.com.br em 13/12/2012:
Ótimo o artigo. É realmente os prejuízos são grandes, tanto para as organizações, quanto para as pessoas envolvidas na fofoca. E se não houver uma intervenção para evitar, a situação poderá ficar insustentável, os lideres devem estar atentos.

jeani em 14/11/2012:
Excelente exposição sobre este problema que, estranhamente, muitos gestores fazem questão de fingir que não existe. Já tive experiência com "rádio corredor" cujo boato praticamente parou o setor por dias e, mesmo depois de ter dissipado o assunto, ainda restaram murmúrios pelos cantos por um bom tempo.

Rogéria Fernandes de Oliveira em 14/11/2012:
Patrícia, concordo plenamente que a fofoca prejudica o ambiente de trabalho; pois estou tendo que conviver com isso no meu local de trabalho. Mas, espero que seja por pouco tempo, pois estou procurando alternativas para acabar de vez com esse mal que "assombra as organizações".

marinete em 14/11/2012:
Excelente matéria!

maria goreti de souza em 14/11/2012:
Muito pertinente esse assunto. Acabei de passar por isso na empresa há 3 meses. Havia fofocas na empresa inteira, o chamado "rádio pião" de que o restaurante seria terceirizado, fato que a gerência negava o tempo todo, só que a fofoca trouxe um estress muito grande para toda a equipe, onde cada uma tentava segurar seu emprego fazendo intrigas e chegando ao extremo de ligar na sala do presidente para falar da vida pessoal de sua líder. Aquilo tudo virou um verdadeiro inferno, acabei tendo que me afastar para tratamento psicológico - tamanho o desgaste mental, e no final de tudo, todos os rumores ou fofocas que cogitavam na empresa era verdade. De um dia para o outro toda a equipe foi desligada da empresa e uma terceirizada assumiu o restaurante. Uma grande falta de respeito e transparência pela administração e gerencia da empresa.

f. s. em 14/11/2012:
Estou em experiência há 2 meses, e escuto fofoquinhas e buxixos pelos cantos de pessoas que estão na empresa há muito tempo. O que incomodou foi eu ter entrado direto na sala da direção, ao invés de ficar na sala com o restante das pessoas. Alguns funcionários sequer olham para mim. Como estudante de RH, estou decepcionada de saber que as empresas abrigam pessoas mesquinhas e falsas, e que pouco se importam de trabalhar com feedback e reuniões. Fica tudo ao Deus dará, e cada um que se vire para driblar os problemas.

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Contagem Regressiva

Seminários RH.com.br



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.