O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
O RH.com.br deseja a todos Boas Festas!
Estaremos de volta dia 19/01
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






19/03/2004
RH » Grupos » Entrevista Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Dinâmica de grupo: uma técnica de mudanças organizacionais

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

Com o aperfeiçoamento da metodologia de pesquisa em Ciência Social, no século XX, o grupo humano também passou a ser estudado cientificamente, o que permitiu obter conhecimentos fundamentados para formular princípios gerais relativos aos processos interpessoais e grupais. As pesquisas mais significativas foram realizadas nos Estados Unidos, devido às condições econômicas e culturais favoráveis daquele país. "Várias teorias sobre dinâmica de grupo foram elaboradas, abrindo-se um leque de possibilidades de pesquisa e aplicabilidade. Teorias de campo ou topológica, da interação, cognitiva, psicanalítica, sociométrica, empírico-estatística e de sistemas são alguns exemplos da problemática de orientação teórica em pesquisa e aplicação de dinâmica de grupo", explica a fundadora da Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos, Fela Moscovici. Em entrevista concedida ao RH.COM.BR, Fela Moscovici fala sobre como essa técnica está sendo utilizada pelas organizações. Confira!

RH.COM.BR - Quais os principais nomes que deram início aos estudos sobre dinâmica de grupo?
Fela Moscovici - Alguns pesquisadores marcaram esse início científico, dentre os quais Bogardus, Thurstone, Whyte, Newcomb, Sherif e Lewin. O estudo pioneiro de Kurt Lewin sobre os três estilos de liderança e suas conseqüências para o clima de grupo, a produtividade e a satisfação dos seus membros, constitui até hoje fonte básica de referência para cientistas sociais, líderes, educadores e administradores. Foi ainda Kurt Lewin quem popularizou o termo "Dinâmica de Grupo" na acepção atual e muito contribui para o seu estudo na primeira organização específica para tal fim: Research Center for Group Dynamics (do MIT) fundado em 1945, e mais tarde no Institute for Social Research, da Universidade de Michigan. A partir daí, a dinâmica de grupo desenvolveu-se extraordinariamente tanto na pesquisa quanto na tecnologia de manejo de grupos, principalmente em educação, terapia, administração e negócios.

RH - E quando a dinâmica de grupo chegou ao Brasil?
Fela Moscovici - Durante a I Conferência de Administração Pública realizada no Rio de Janeiro, em julho de 1963, sobre o tema "Novos Métodos de Ensino e Treinamento" foram feitas comunicações sobre o emprego do método de laboratório, uma nova tecnologia de aplicação da dinâmica de grupo para o desenvolvimento interpessoal e grupal nas escolas de administração. Foram relatados trabalhos de Edela Lanzer e Francisco Pereira de Souza, em Porto Alegre (Universidade do Rio Grande do Sul); João Eurico Matta, em Salvador (Universidade da Bahia); e Fela Moscovici, no Rio de Janeiro (EBAP, Fundação Getúlio Vargas). Foi também citado o trabalho de Pierre Weil, em Belo Horizonte (Universidade de Minas Gerais e Departamento de Treinamento do Banco da Lavoura de Minas Gerais). Esses relatos constam do livro Laboratório de Sensibilidade - um estudo exploratório, de minha autoria. A partir da década de 60, a dinâmica de grupo vem sendo utilizada no Brasil com crescente credibilidade, aceitação e sucesso.

RH - Quais os principais objetivos da dinâmica de grupo?
Fela Moscovici -A dinâmica de grupo é um campo de conhecimento específico da psicologia social sobre os processos interativos que se passam nos grupos. Seu objetivo principal é o de pesquisar o grupo humano para conhecer as variáveis de seu funcionamento. Esse conhecimento pode, então, ser utilizado para provocar mudanças no funcionamento do grupo visando certos objetivos.

RH -Quais as melhores dinâmicas de grupo que estão no mercado?
Fela Moscovici - A dinâmica de grupo não é um produto pronto, industrializado, passível de comparação objetiva. Em desenvolvimento humano o que importa são os fatores competência, experiência e ética do profissional que coordena o processo e não a nomenclatura ou rótulo comercial dos procedimentos. O mesmo acontece, por exemplo, no campo biomédico e psicossocial em cirurgia, terapia, educação, entre outros.

RH -Quais as práticas que estão sendo mais usadas pelas organizações?
Fela Moscovici - Há uma grande variedade de práticas, principalmente em Treinamento e Desenvolvimento. Conforme os objetivos visados, propiciam participação real dos membros do grupo, comunicação multilateral, experiência direta, decisões compartilhadas e orientação andragógica da aprendizagem.

RH -Em que momentos as empresas estão utilizando essa técnica?
Fela Moscovici - Em situações normais de Treinamento e Desenvolvimento, e especialmente em situações de mudanças organizacionais ou de crise, para facilitar a comunicação e prover segurança psicológica para as pessoas.

RH - Quem está apto para aplicar dinâmicas de grupo?
Fela Moscovici - O coordenador capacitado é aquele que participou de um programa de formação em dinâmica de grupo provido por uma instituição idônea, geralmente uma sociedade ligada à área de comportamento humano. Assim como o médico precisa fazer residência médica e o psicanalista precisa fazer sua formação em Sociedade de Psicanálise, assim também o coordenador de dinâmica de grupo precisa fazer formação específica para se habilitar a conduzir grupos de forma competente, técnica e eticamente.

RH - De que forma o profissional pode qualificar-se para aplicar dinâmicas de grupo?
Fela Moscovici - O profissional necessita participar de um programa de formação em dinâmica de grupo. A duração do programa é de cerca de três anos, em nível de pós-graduação. É composto de módulos que incluem os aspectos básicos da educação de laboratório, constantes de vivência, fundamentação conceitual, seminários de tecnologia de trabalho em grupo e prática supervisionada. Para obter o título de coordenador, após a conclusão dos módulos, exige-se também a elaboração de uma monografia sobre tema pertinente.

RH -Como está o mercado para os profissionais que trabalham com dinâmicas de grupo?
Fela Moscovici - Como para outros profissionais, o mercado mostra-se instável para os consultores externos. Para quem atua dentro da própria empresa em que trabalha, a situação é mais estável enquanto durar o mesmo contexto organizacional.

RH - Que conseqüências uma dinâmica de grupo mal conduzida pode gerar para a empresa e o participante?
Fela Moscovici - Qualquer trabalho mal conduzido gera prejuízos para a empresa e para o participante. A empresa não consegue realizar seus propósitos com aquele trabalho, perdendo tempo, dinheiro e energia dos empregados. O participante também sofre frustração pelo tempo e energia perdidos, além de poder ficar com uma sensação desagradável de ter sido logrado, exposto ou usado indevidamente. Essa sensação negativa pode afetar sua motivação para outras iniciativas da empresa, aumentando sua desconfiança e resistência em relação a novas propostas.

RH - Qual a importância da dinâmica de grupo para o profissional de RH?
Fela Moscovici - A dinâmica de grupo é um recurso valioso para o RH, pois permite aproveitar as forças poderosas dos grupos para facilitar e incrementar a aprendizagem, a resolução de problemas, a criatividade, o processo decisório, a liderança e a qualidade dos processos produtivos.

Bibliografia - Dinâmica de Grupo
* Laboratório de Sensibilidade - um estudo exploratório (RJ, FGV, 1965), Fela Moscovici.
* Desenvolvimento Interpessoal (13.ed. RJ,. Editora José Olympio, 2003) Fela Moscovici.

 

Palavras-chave: | Fela Moscovici | dinâmica de grupo |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (1)
Alisangela Maria Gondim da Silveira em 15/02/2009:
Excelente leitura. Ótimas dicas para quem trabalha com dinâmicas.

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Programa de Autodesenvolvimento

3ª Jornada Virtual de Recursos Humanos



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.