O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Participe do 8º Congresso de RH pela Internet.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






02/04/2004
RH » Liderança » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

O gerente educador e a liderança

Por Luiz Carlos Moreno para o RH.com.br

A necessidade da gerência - Qualquer grupo social precisa ser gerenciado por uma pessoa que o guie para atingir os objetivos comuns ou satisfazer os interesses dos seus membros. A anarquia (homens sem governo) é uma utopia, ainda que filosoficamente atraente.

Desde os tempos mais remotos da tribo primitiva, os homens tiveram gerentes. Ainda que não com esse nome. Evoluir o homem, fazê-lo passar de autômato a consciente de suas responsabilidades e da sua posição no mundo são responsabilidades primordiais do gerente.

Razão administrativa e racional - Dentro do processo do trabalho são necessárias pessoas que distribuam as responsabilidades em função das características individuais que: planejem, organizem, coordenem e controlem os esforços dos indivíduos e determinem o melhor caminho a seguir.

Assim, concluimos que dentro de qualquer grupo social quem lidera, gerencia é a peça mestra e catalisadora das energias individuais. Quem é um líder?
"Líder é todo indivíduo que, graças à sua personalidade, dirige um grupo social, com a participação espontânea dos seus membros".
"Líder é a pessoa capaz de atingir o extraordinário lidando com o convencional". Danny Cox
"Liderança é inteligência, credibilidade, humanidade, coragem e disciplina". Sun-Tzu (chinês 480-221 a.C)

Liderança emana de conhecimento, da perícia, das habilidades interpessoais e não do nível de autoridade. Cada um pode e deve ser um líder. As qualidades da liderança não são mais mistérios distantes e inatos - elas podem ser aprendidas. Os líderes removem as barreiras que impedem as pessoas e as máquinas de atingirem o ótimo. Sonhar, saber, planejar e agir são palavras-chaves.

Diferença fundamental:
* um chefe contenta-se com tarefas;
* um líder consegue entusiasmo, interesse pelo trabalho e cooperação.

Nove atributos da liderança

1 - Confiança: em si, nos outros, na sua causa e no seu trabalho.
2 - Otimismo: crença de que o objetivo não é só bom como também será alcançado.
3 - Conhecimento: uma compreensão dos problemas fundamentais, do que precisa ser feito.
4 - Determinação: capacidade de ponderar as opções, tomar decisões e conquistar a aceitação do grupo.
5 - Mente aberta: respeito pela opinião dos outros e disposição para trabalhar com pessoas de diferentes personalidades.
6- Participação: disposição para ajudar até mesmo em tarefas das mais humildes, para se colocar à frente e apoiar os esforços feitos pelos membros do grupo.
7 - Paciência: disposição para amadurecer as idéias, para planejar adequadamente e aguardar a hora certa de agir.
8 - Coragem: para suportar críticas, fazer sacrifícios e resistir às pressões, bem como para prosseguir, apesar das adversidades.
9 - Comunicação: habilidade para entender o que os outros estão querendo dizer e comunicar decisões e planos de ação de forma clara e objetiva.

As mensagens enviadas têm significado apenas na mente de quem as recebe. O que você quis dizer não significa nada, se não tiver o mesmo significado na mente de quem recebeu sua mensagem.

Convicções fundamentais

1 - A função do gerente é, a par de uma visão global da realidade, fixar objetivos e estabelecer metas.
2 - A função do gerente é educar.
3 - A função do gerente é comunicar.
4 - A função do gerente é manter, em níveis harmoniosos, as relações interpessoais e interdepartamentais.
5 - A função do gerente é inovar e despertar a criatividade.
6 - A função do gerente é delegar (não é passar o abacaxi), como estímulo à iniciativa, à responsabilidade e ao autodesenvolvimento. Um dos discursos sobre motivação mais poderosos do mundo resume-se em apenas quatro palavras: "Acredito na sua capacidade".
7 - A função do gerente é conduzir mudanças inteligentemente buscando a expansão da qualidade das pessoas, do departamento, dos produtos, dos serviços e da empresa, como meio de sobrevivência e garantia de sucesso.
8 - A função do gerente é gerenciar cada pessoa como indivíduo e não simplesmente como pequena parte de um grupo maior.

Para gerenciar e educar pessoas na organização

Não bastam títulos como: diretor, gerente, chefe (esse nem mais utilizado) ou encarregado, para que isso signifique prestígio e competência para que as pessoas realizem um desempenho excelente. É preciso uma série de habilidades, aptidões e conhecimentos. Isso quer dizer: aprender o ofício da gerência.

* Condição técnica - implica na compreensão e domínio dos métodos, processos, procedimentos e técnicas referentes a um determinado tipo de atividade.

* Condição humana - compreende a habilidade para trabalhar com eficiência como membro de grupo. Consiste em obter um esforço conjugado da equipe que supervisiona. A condição humana ocupa-se essencialmente com o trabalho das pessoas.

* Condição conceitual - significa considerar a empresa como um todo e, graças à imaginação e ao pensamento construtivo, prever a longo prazo. Compreende a faculdade de reconhecer como e porque as diferentes funções de uma organização dependem umas das outras. Se estende à percepção das relações de uma empresa com as outras e com a comunidade, com as forças políticas, sociais e econômicas. O reconhecimento dessas relações e a percepção dos elementos significativos de cada situação permitem atuar de uma maneira global em benefício da organização (raciocínio sistêmico).

Atribuições do gerente

1 - Como técnico: deve planejar o trabalho; conhecer o funcionamento e a operacionalização de métodos, técnicas, materiais e processos do seu campo de atuação; conhecer os meios de melhorar métodos; obter e verificar índices de desempenho; controlar as operações e processos para que esses índices sejam iguais aos estabelecidos nos planos; conhecer os sistemas de inspeção; controlar a quantidade e qualidade; tirar o máximo de proveito de equipamentos, métodos, técnicas e recursos; manter os recursos em bom estado e saber reduzir as perdas.

2 - Como administrador: deve conhecer e atender a organização; conhecer o pessoal do seu departamento; conhecer e dar a conhecer as práticas e normas administrativas da organização; controlar e reduzir os custos; ter habilidade para transformar e inovar idéia; ser receptivo às modificações; ter independência de julgamento.

3 - Como gestor: deve exigir o cumprimento das regras e normas da organização; manter a disciplina; atender e prevenir as reclamações e queixas; conhecer bem a natureza de seus colaboradores; fazer respeitar e cumprir as normas de segurança; preocupar-se com o bem estar pessoal; estimular e reconhecer os esforços extraordinários e os trabalhos bem executados; educar os colaboradores.

Educação para a gerência

Partindo do princípio de que ninguém nasce gerente, é lógico que para o desempenho dessa função, as pessoas, os profissionais devem ser educados. Depois de algumas experiências desastrosas, chegou-se à conclusão de que, na organização atual, o gerente não pode valer-se somente de seus conhecimentos técnicos para o ajudarem a resolver os múltiplos problemas humanos que terá de administrar.

Por mais competente que tenha sido como técnico, por mais habilitado que seja como profissional, este fato não lhe confere, automaticamente, a capacidade de gerenciar pessoas para a consecução dos objetivos da organização.

O gerente para ser eficaz, deve ser educado para:

* Conhecer e compreender melhor a natureza da organização, na sua estrutura e suas inter-relações dinâmicas.

* Desenvolver uma estrutura de linguagem comum que represente de forma precisa as realidades interdependentes dos fenômenos com os quais trata: técnicos; econômicos; orgânicos; sociais e humanos.

* Compreender melhor o problema da comunicação, não apenas o aspecto da comunicação em que, por meio da persuasão, tenta vender seu próprio ponto de vista, mas também aquele que compreende e respeita o ponto de vista alheio.

* Desenvolver novos métodos e novas habilidades de modo que as inovações ou as modificações sejam introduzidas no trabalho sem provocar resistências intransponíveis.

* Compreender melhor a relação de dependência do colaborador em relação ao gerente nas organizações e os sentimentos de insegurança que essa dependência causa. Aprender novos métodos e técnicas para assegurar ao seu colaborador aquelas condições mínimas de segurança, (não só financeiras), sem as quais a posição do colaborador se torna insuportável. Aprender a ser responsável por pessoas e não simplesmente por categorias abstratas e lógicas.

* Aprender a distinguir o mundo dos sentimentos do mundo dos fatos e da lógica.

E para tratar efetivamente com esse mundo dos sentimentos, terá que aprender a respeito da organização informal - esse aspecto das organizações que é a manifestação do sentimento.

Somente dando atenção à organização informal quanto à formal, tornar-se-á cônscio do que poderá e do que não poderá ser realizado no campo concreto. Tais problemas não se vencem pela habilidade normal ou pelos conhecimentos técnicos ou profissionais, os quais as pessoas dominam. Em verdade, não existe um programa ideal de desenvolvimento de gerentes.

O que se aproxima de uma boa solução é a concepção de "Educação Permanente". Também não existe um modelo ideal de gerente, porque as pessoas podem não ser boas em todas as circunstâncias.

A atuação do gerente pode variar:
- com o tipo de organização
- com as estruturas
- com a qualidade e formação da equipe
- com os sistemas de trabalho
- com as políticas de gestão de pessoas
- com o estilo de gerência.

Gerente educador - Para finalizar esta abordagem, retomo o pensamento daquele que se tornou o guru e ídolo dos gerentes de uma geração:
"Em última análise, todas as operações de negócios podem ser reduzidas a três palavras: Pessoas, Produtos e Lucros. As pessoas estão em primeiro lugar. Se você não tiver uma boa equipe, não poderá fazer grande coisa com o resto." Lee Iacocca.

Palavras-chave: | líder | liderança |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (2)
Adriana Leite em 26/05/2011:
Gostei muito do texto: O gerente educador e a liderança, para quem pretende um dia estar na direção de uma instituição educacinal, esse texto muito contribui para uma reflexão bem ampla. Espero ter a oportunidade de estar lendo mais texto desta formação sobre gestor educador, etc.

sheila carrijo silva em 08/05/2010:
Adorei seu livro. Sou sua fã

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Seminários RH.com.br

8º ConviRH



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.