O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Participe do 8º Congresso de RH pela Internet.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






17/07/2007
RH » Liderança » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

A influência do líder

Por Mauro Benucci para o RH.com.br

Temos verificado o tema “Liderança” como um fator decisivo no mundo dos negócios que é, na sua essência, competitivo.
Mas, liderar o quê? Em algum momento, pode-se ter a idéia de que o processo de liderança é unilateral de modo que as orientações sejam evidenciadas em um indivíduo no grupo. Será que a liderança tem fundamentação para um clima organizacional favorável aos seus integrantes?

Você tem consciência que, em algum momento na sua vida pessoal ou profissional, você teve papel de líder para resolver alguma situação que dependia de você? Bem, poderíamos explicitar várias questões que fazem parte desse tema, que nos remetem a situações claras, que desde o início de nossas vidas estão presentes.

Posso afirmar que liderança é tema que envolve relacionamento, comprometimento e performance. O líder influencia o comportamento dos membros de sua equipe, para que sejam executadas as demandas que necessitam serem realizadas. O líder também tem a função de despertar as motivações das pessoas dentro do trabalho, para que os resultados que nós esperamos aconteçam.

O verdadeiro líder é aquele que lidera pelo bom exemplo, pela honestidade e transparência nos processos para com as pessoas. Se a função é de formar líderes, a característica principal é de treinar pessoas estimulando a cooperação, o trabalho em equipe, o envolvimento pleno e com resultados entre áreas construindo uma equipe eficaz.

A liderança tem a função de gerar benefícios significativos na vida de cada indivíduo, se multiplicando na equipe. O líder tem a função de agregar valores buscando performances diferenciadas em suas equipes com exemplo, dedicação e resultados. A liderança é resultado comum entre as partes; é uma situação em que se evidencia o comprometimento em busca do momento mágico da performance e resultado final. Deixo aqui uma afirmação para reflexão: comprometimento é diferente de convencimento!

O líder precisa utilizar a melhor ferramenta de gestão: o feedback alinhando assim: atitudes, estratégias e valores. Nesse processo pode acontecer desvio, mas quando avaliado ele tem que ser o mais próximo possível do acontecido aos fatos evidenciados.

A melhor ocasião para que isso aconteça é quando da avaliação de performance, que geralmente acontece semestralmente, porém já vi empresas realizarem anualmente e até algumas que ainda não aplicam essa ferramenta. Por outro lado, se for utilizada apenas quando imputar os dados no sistema também não terá o resultado esperado por ambas as partes.

Seria muito interessante se fossem revistos os pontos positivos e de melhorias mensalmente, para que os avaliados tivessem a oportunidade de ter um upgrade na performance, mesmo nos pontos positivos para que pudessem ser lapidados e multiplicados aos integrantes da equipe.

Na avaliação de performance o líder tem papel importante para com seus avaliados, uma vez que ficará evidenciado sua preocupação em busca de melhorias, e seus colaboradores ficarão mais seguros no desenvolvimento de suas atribuições.

Na avaliação de performance quando do seu feedback é o momento do desenvolvimento de carreira, ocasião que fica contratado um período em que os envolvidos negociam resultados, prazos e expectativas.

O modelo de avaliação mais utilizado nas empresas atualmente é aquele em que o colaborador se auto-avalia, envia para o líder que preenche o campo da avaliação e é marcado um momento mais propício para o feedback.

Eu já presenciei empresas em que não se aproveitam desse momento tão importante para ambos. Também não é raro as empresas que deixam para realizar esse processo tão importante para os últimos dias, e de última hora; existem também as empresas que fazem apenas parte da avaliação e deixam de realizar o mais importante que é o feedback, ou seja, é provocado um vazio na percepção do colaborador e um grande “buraco” na relação.

O verdadeiro líder precisa de “gostar de gente”, já que ele tem que fazer as pessoas refletirem e participarem, mostrando uma única direção entre as áreas, e mostrar as conseqüências daquilo que estão planejando.

Treinar, formar, ouvir, acrescentar e descartar situações freqüentemente é o dia-a-dia de um bom líder. Ah, e comemorar os momentos das vitórias já que isso provocará um clima organizacional muito favorável e os resultados surgirão. Depois tem que haver comemoração.

Deixo outro questionamento: a influência do seu líder e a avaliação de performance que você vivencia, atende suas expectativas?

Até breve, e boas conquistas!

Palavras-chave: | líder | liderança |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (0)
Ainda não há comentários.

Seja o primeiro, clique no ícone disponível logo acima e faça seus comentários.
 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Seminários RH.com.br

8º ConviRH



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.