O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Conheça os cursos online e os eventos virtuais do RH.com.br
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






10/08/2010
RH » Motivação » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Qual o poder do elogio sobre você e os outros?

Por Danilo Fernando Olegário para o RH.com.br

Tenho observado muito nas relações humanas a ausência de uma palavra extremamente importante no nosso dicionário da vida - o elogio.

Quando me ocorreu a ideia de transpor essa observação para um artigo eu tinha convicção de que era (e ainda é) um assunto muito óbvio e que muitos leitores poderiam se cansar e nem se interessar pela leitura. Então, por esses motivos - a obviedade do assunto e o desafio de chamar a atenção dos leitores - decidi por escrevê-lo.

Todo bom líder sabe da importância que é elogiar o trabalho de um colaborador, isso não é novidade para ninguém. É bom, satisfaz o ego e isso potencializa as nossas forças. Quem não gosta de ser elogiado por um trabalho que realizou? Até hoje eu não conheci alguém que tenha respondido que não.

A questão é a seguinte: se é tão importante e todo mundo sabe que é bom, por que ainda é tão difícil para muitas pessoas exercerem essa prática?

O elogio não se associa somente a um processo de feedback, onde são discutidos os pontos fortes e os que precisam ser melhorados do colaborador, muitas vezes as pessoas têm a necessidade apenas de ouvir que fizeram um bom trabalho e não apontar onde precisam melhorar, isso é uma outra etapa.

O elogio, em minha visão é a arte e exaltar o próximo e, para isso, muitas vezes temos que nos "tornarmos pequenos" para engrandecer os outros. Isso não tem a ver com pequenez e sim com a humildade de reconhecer que as pessoas têm outros talentos diferentes e melhores dos que os nossos. Quando passamos a enxergar essas relações de forma "cooperativa" e não "competitiva" o conceito do elogio fica mais claro em nossas mentes.

Têm pessoas que por nunca terem recebido um elogio sequer nem no útero familiar quanto menos no útero social, não conseguem dar os parabéns a uma pessoa, pois não foram orientadas para isso. Para elas qualquer trabalho é digno de questionamento e não de reconhecimento.

Por outro lado existem as pessoas que até foram orientadas a isso, mas que não emitem palavras de elogio, pois ficam a todo o momento "protegendo" sua ocupação e, portanto, têm medo de exaltar ou de tornar visível outras pessoas que podem apresentar algum tipo de ameaça - o tipo do sujeito egocêntrico que necessita que toda a atenção seja para ele.

Existe ainda o sujeito que justifica todas as suas mazelas no coitado do "tempo" - "Não tenho tempo pra isso. Estou com o tempo apertado. Não deu tempo", e assim por diante. Esses são os famosos "Rolando Lero", não se atentam para os mínimos detalhes e, às vezes, nem se lembram que trabalham com gente.

No entanto, quando o assunto é o inverso - a crítica ao cenário já não é de tanta ausência de personagens assim, como diria Augusto Cury - "Tem pessoas que são rápidas em criticar e lentas em elogiar". A crítica é mais comum do que o elogio, convivemos com isso desde a infância, somos induzidos pela família ou pela sociedade a criticar políticos - sendo que nós mesmos é que votamos neles, jogador de futebol - muitas vezes sem saber jogar, os professores da escola, os amigos, enfim, a nossa capacidade em criticar é muito mais acelerada do que a de elogiar.

Faça um teste: em dez minutos tente descrever em uma folha de papel três características extremamente positivas de todas as pessoas que trabalham com você. Não vale citar qualquer característica negativa, somente positiva, e tente perceber o grau de dificuldade que é olhar somente as qualidades de algumas pessoas, se o exemplo fosse o contrário, provavelmente teríamos mais facilidade de destacar em pouco tempo.

Quando uma pessoa recebe um elogio sincero pelo seu trabalho é como se os hormônios reconhecessem tais comandos imediatamente. Começassem, então, a agir positivamente no interior elevando a autoestima do individuo a um extremo nível, transformando-o em um sujeito mais seguro, ousado e assertivo. Todo esse processo resume-se em reconhecimento e valorização da pessoa, simples e que não tem custo algum para a organização e muito menos para quem o pratica.

Tudo isso é muito óbvio sim. No entanto apesar de tão claro muitas organizações investem pesado em treinamentos motivacionais e muitas vezes para tentar enxergar o óbvio.

Uma pessoa com a autoestima valorizada é capaz de trazer resultados surpreendentes para sua vida. Observe o desenvolvimento de uma criança, por exemplo. Tente criticar um desenho de uma criança e observe o seu comportamento, sua reação de insegurança e timidez. Certamente nesse momento você libertará o "monstro" de sua imaginação e correrá o risco de bloquear para sempre a criatividade dela. Por outro lado, se fizer um bom elogio a esse desenho certamente você verá uma criança feliz e segura.

Por que isso acontece? Porque nesse desenho está muito mais do que uma imagem, nele estão os sentimentos, a imaginação, a criatividade e até as crenças de uma criança. Nós adultos não somos tão diferentes assim, pois quando investimos os nossos sentimentos, a nossa paixão, a nossa imaginação, o nosso tempo em nossos negócios, esperamos no mínimo um reconhecimento.

Cabe observar também que não é só a pessoa que recebe um elogio, um parabéns que fica gratificada, mas quem o pratica também. Pois, ser grato e reconhecer outra pessoa também faz bem para o ego. Muitos maridos e esposas, às vezes, se esquecem disso.

Esse é um processo natural da vida, as pessoas gostam e merecem serem elogiadas e valorizadas pelo que entregam, seja na sociedade ou na organização e, às vezes, para nos sentirmos bem é preciso reconhecer o próximo. Portanto, você já elogiou alguém hoje?

Palavras-chave: | feedback | emoção |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (10)
erasmo em 16/06/2011:
Bom, gostei muito do assunto, pois o elogio enobrece a alma e nos faz sentirmos bem melhores e com certeza os nossos resultados depois de um elogio de reconhecimento verdadeiro, pode nos transformar em ótimos profissionais. O ruim disso é que os nossos líderes não tem esta prática de motivação.

Liduina Felipe em 24/09/2010:
Parabéns pelo texto! Precisamos sim de elogios verdadeiros que nos valorizem, contribuindo para intensificar o nosso prazer em fazer mais e cada vez melhor.

Zé Roberto (MARRUCCI) em 18/08/2010:
Não havia elogiado ninguém hoje. Até agora. Acabei de ler o belo texto e quero te elogiar por isso. Parabéns pelo excelente trabalho! Continue nos brindando com mensagens tão profundas e verdadeiras. Abraço...

Gildo Henrique em 17/08/2010:
Olá pessoal! Trabalho com elogios faz algum tempo: sou do portal Elogieaki.com.br. Lá recebemos elogios a empresas, profissionais e serviços. É bem curioso perceber a dificuldade que existe em se elogiar. Temos maior facilidade e mais canais pra reclamar. Também é mais cultural. Juntando tudo acabamos por deixar o elogio e também a coisas positivas em segundo plano. Uma pena, mas nosso trabalho é este, incentivar que existam elogios. Que eles sirvam de motivação e inspiração para melhorarmos sempre. Isto se aplica a vida pessoal e profissional. Sorte a todos! Gildo Henrique

Gilberto C. Olgado em 13/08/2010:
Parabéns Danilo, este artigo foi muito bem elaborado. Eu também acredito no poder do elogio, mas precisa ser sincero e espontâneo, porque quando se nota que a pessoa tem um certo interesse pessoal, principalmente quando é dirigido ao chefe ou encarregado, transforma-se no tal “puxa-saquismo”. Creio que a competitividade do mundo moderno, tem grande contribuição para que o ser humano perca esta sinceridade e espontaneidade. No nosso dia a dia mesmo, competimos deste cedo ao levantar, correndo para se arrumar, tomar o café da manhã, depois tem o transporte para o trabalho, onde muitas pessoas seguem ao mesmo tempo e depois dentro da empresa com os colegas de trabalho nas tarefas diárias. Quando se entra numa competição individual não há espaços para elogios, pois todos se tornam adversários, e adversários são um tipo de ameaça e se o desempenho do adversário for melhor que o seu, você se sente ameaçado e vai tentar se superar cada vez mais. Claro que isso acontece inconscientemente, fruto das atividades diárias, mas deixa o ser humano mecânico em suas ações, esquecendo que somos seres humanos, temos sentimentos e precisamos que nosso ego seja massageado para nos sentirmos bem emocionalmente e recompensados pelo esforço que fazemos. Por isso temos que mudar a mentalidade, sejamos mecânicos nas tarefas, mas humanos com as pessoas. Diga sempre; Bom dia, boa tarde, boa noite, sempre com um sorriso nos lábios, não importa o quão está com problemas ou com mau estar, seja gentil com as pessoas, isso sim massageia o seu ego e das pessoas que você convive, e com certeza nos sentiremos seres humanos sociáveis novamente e não mediremos esforços para estar sempre disponíveis, felizes e com um saco de elogios para distribuir para as pessoas. Abraço.

Carin Mattner em 13/08/2010:
Achei maravilhoso o texto. Infelizmente é natural criticar e não elogiar, acredito que se trabalharmos mais em nossas relações familiares, esta ação de tornará automática no dia a dia. Parabéns!!!

Davison Augusto Celino em 12/08/2010:
Ótimo texto. É bastante pertinente ao momento que que vivemos em nosso país - expectativa de crescimento e exigência de profundas tranformações - sobretudo, no meio organizacional. Olhar a pessoa e vê-la assim, é fundamental para motivá-la ao crescimento individual quanto da organização. Parabéns!

sonia porto em 12/08/2010:
Concordo plenamente que elogiar é fundamental para manter auto-estima.

Rosileny Moreira de Queiroz em 12/08/2010:
Prezado Danilo, parabéns pelo tema abordado. Quando comecei a ler o artigo me identifiquei com suas palavras, ou seja, no meu cotidiano procuro verificar a essência positiva das pessoas, mesmo aquelas que não tenho muita intimidade, porque através de um elogio podemos estar despertando um gênio oculto, que aguarda por este incentivo ao longo dos anos. Se estivermos realizando uma tarefa e aparecer a dúvida do certo ou do errado, ficamos inseguros em continuar a realização, enquanto se recebermos um elogio, mesmo seguido de uma crítica de algo a ser melhorado, com certeza nos dará força para seguirmos e corrigirmos os erros. É muito difícil fazer uma auto-análise, quando se trata de nós, quase sempre não aparece defeitos, somente qualidades. Obrigado por aprimorar meus conhecimentos e ideias com artigos como esse.

Angélica em 11/08/2010:
Meu primeiro elogio de hoje vai para você Danilo...parabéns pela matéria,ótima!!!!

PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Curso Online do RH.com.br

Curso Online do RH.com.br



PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.