O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Inscreva-se para a 2ª turma da Jornada de Liderança.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






23/08/2010
RH » Recrutamento e Seleção » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

As principais falhas da dinâmica de grupo em processos de seleção

Por Lucas Gabriel da Luz para o RH.com.br

A dinâmica de grupo é, sem sombra de dúvida, uma ferramenta de enorme importância para o processo de seleção de pessoal. Porém, o que me preocupa é como essa importante ferramenta vem sendo utilizada por alguns profissionais de forma incorreta.

Um profissional que utiliza de forma equivocada, uma ferramenta da grandeza que é a dinâmica de grupo, não está simplesmente anulando um processo da seleção de pessoal, mas sim utilizando uma ferramenta que em vez de ajudá-lo, prejudicará o resultado. Uma ferramenta, má utilizada, servindo de apoio para tomada de decisões, tornará o resultado da decisão consideravelmente insatisfatório.

Em uma pesquisa realizada com dez profissionais da área de Seleção de Pessoal, foi constatado que todos utilizam a dinâmica de grupo em seus processos de seleção. Porém, não se mostrou uma preocupação, por parte desses profissionais, com o tipo de cargo para o qual a vaga está aberta, ou com o material de apoio para a aplicação dessa dinâmica.

Outro problema identificado na aplicação da dinâmica de grupo foi quanto à quantidade de participantes, onde quase metade dos entrevistados foi submetida a uma única dinâmica. Isso dificulta, certamente, a avaliação da mesma ou até mesmo atrapalha a aplicação, pois quanto maior o número de participantes, mais difícil o esclarecimento dos objetivos em relação àquela atividade.

A pesquisa também constatou que alguns profissionais nunca participaram de grande parte das dinâmicas de grupo que eles próprios aplicaram. Esse fato também dificulta a avaliação, pois o administrador nunca terá, ele próprio, experimentado as situações que submeteu os candidatos.

Dois outros fatores importantes identificados foram que boa parte dos profissionais entrevistados, nunca participou de qualquer curso ou treinamento sobre a aplicação da dinâmica de grupo em seleção de pessoal. Isso pode ser um fator de justificativa para os problemas citados anteriormente, pois como poderia um profissional utilizar uma ferramenta da qual ele não conhece?

O outro fator é que mais da metade da amostra entrevistada possui menos de cinco anos de experiência, o que deve ter alguma relação com a utilização em massa da dinâmica de grupo.

Fica, então, como sugestão para os profissionais atuantes na área de seleção de pessoal que utilizem sim a dinâmica de grupo. Porém, com critérios bem determinados e nunca como a única ferramenta do processo, nem mesmo como a mais importante, até porque, não existe recurso mais ou menos importante, o que há é a mais conveniente para determinado momento.

É muito relevante que os profissionais busquem cursos para se aperfeiçoarem nas técnicas de aplicação da dinâmica, que revejam o material de apoio utilizado e que, principalmente, não utilizem a dinâmica de grupo apenas para se enquadrar à maioria, pois com isso estariam utilizando a "técnica pela técnica".

Respondendo à problemática desse artigo: "Em que momento a dinâmica de grupo pode passar a ser ineficiente para um processo de seleção de pessoal?". Através desse trabalho, conclui-se que, a dinâmica de grupo será ineficiente quando utilizada de forma "irracional", ou seja, sem observar as técnicas e as regras de aplicação da mesma.

Concluindo, mais uma vez, é importante lembrar que a dinâmica de grupo é sim uma ferramenta de imensa importância para a seleção de pessoal. Porém, cabe ao profissional responsável pela seleção utilizá-la da melhor forma possível para complementar as demais ferramentas existentes, mas nunca como única e exclusiva fonte de informações para a seleção de pessoal.

 

Palavras-chave: | dinâmica de grupo | seleção | recrutamento |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (2)
GIRLANE NOBRE em 28/08/2010:
Lucas, muito interessante o seu artigo. Sou especialista em relações humanas e dinâmicas grupais, e creio que as pessoas de Rh deveriam se especializar antes de aplicar técnicas de dinâmicas de grupo, sabendo que quando não aplicadas podem causar um grande estrago na vida de um candidato.

Carin Cristina Mattner em 25/08/2010:
Olá!! Gostei muito do texto. Acredito que uma seleção bem elaborada traz muitos resultados. Em meu último emprego a empresa aplicou nas seleções as dinâmicas em grupo, e antes de iniciar observei, participei e fui instruida. Se simplesmente tivesse que aplicar sem saber os reais motivos das atividades não valeria para nada. Hoje trabalho em uma empresa que não tem a cultura de entrevistas em grupo, mas com o tempo acredito que irei reverter o quadro. Sou a favor das dinâmicas, mas como você colocou, a aplicação de cada tarefa deve ter sentido, ser direcionada para cada cargo, e claro sempre analisar o perfil da vaga com os candidatos que serão chamados. É tempo perdido pegar um curriculo e logo chamar o candidato sem verificar suas experiêcias anteriores. Isso causa um constrangimento para o candidato que participa do processo sem ser qualificado para exercer tal atividade. Ficaria feliz em receber sugestões de dinâmicas, a empresa onde trabalho é do segmento moveleiro e as funções onde há maior rotatividade é na produção. Muito Obrigada!

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

3ª Jornada Virtual de Recursos Humanos

Programa de Autodesenvolvimento



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.