O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Inscreva-se para a 2ª turma da Jornada de Liderança.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






30/04/2004
RH » Salários e Benefícios » Matéria Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Correios: orientação sobre finanças pessoais

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

A crise econômica é um fantasma que leva muitos brasileiros a perderem horas de sono e a se tornarem fortes candidatos a dores de cabeça E não é para menos, pois a cada dia o trabalhador se vê obrigado a "esticar" o salário e a fazer verdadeiros milagres na hora de pagar as contas no final do mês. Mas como entrar em desespero não leva a lugar algum, a melhor opção ainda é aprender a administrar as finanças pessoais. A questão é que isso nem sempre é possível. Há pessoas que para complicar a situação esquecem seus limites financeiros, não podem ver uma vitrine e gastam muito mais do que o valor do próprio salário.

O resultado desse descontrole não é sentido apenas dentro de casa quando as contas começam a acumular, pois ele também é extensivo ao ambiente organizacional. E as conseqüências, normalmente, são apresentadas através do péssimo mal humor com os colegas de trabalho, desconcentração, baixa produtividade, entre outros problemas. Foi justamente para evitar que seus colaboradores acumulassem dívidas, que os Correios lançaram, em 2003, o Projeto Gestão do Orçamento Familiar, uma iniciativa que vem beneficiando 100% do quadro da empresa - cerca de 100 mil pessoas em todo o Brasil - que visa oferecer aos funcionários e aos seus dependentes informações que permitam o aprimoramento do orçamento doméstico.

"A crise econômica estava afetando de tal forma os colaboradores da corporação, que no ano de 2001 o Serviço Social dos Correios observou um sensível aumento no número de atendimentos a funcionários que apresentavam algum tipo de problema relacionado à orientação econômico-financeira, relacionamento familiar e orientação de benefícios. Foi a partir daí, que a empresa resolveu criar o Projeto Gestão do Orçamento Familiar", explica a assistente Social da Gerência das Relações do Trabalho da Diretorial Regional de São Paulo Metropolitana, Sandralina de Oliveira.

Esse projeto corporativo vem sendo desenvolvido em Brasília com ampliação para todas as regionais dos Correios. Como cada região possui suas peculiaridades, a organização resolveu delegar a cada regional a adminitração do projeto. "Na Diretoria Regional de São Paulo Metropolitana, onde aproximadamente 18 mil colaboradores foram beneficiados pela iniciativa, o Projeto Gestão do Orçamento Familiar vem sendo coordenado pela Gerência de Relações do Trabalho - Serviço Social", afirma Sandralina, salientando que na prática o projeto foi dividido em duas fases.

A primeira etapa, que ainda está em andamento, visa sensibilizar e orientar 100% do efetivo da empresa sobre a importância do planejamento financeiro pessoal em momentos de crise econômica, para que conseqüentemente venham alcançar uma melhor qualidade de vida. Nesse primeiro momento, foram enviados materiais impressos para as residências dos funcionários explicando a proposta do projeto, bem como realizadas palestras educativas ministradas por consultores especializados em finanças, contratados apenas para essa finalidade.

Para participarem das palestras, os funcionários dos Correios realizaram inscrições por telefone, e-mail ou pessoalmente no local de trabalho. Na Diretoria Regional de São Paulo Metropolitana foram realizados 20 encontros que aconteceram na empresa, durante os três turnos (manhã, tarde e noite) já que muitas unidades funcionam 24h. A proposta era formar turmas homogêneas para que o enfoque de cada palestra ou mesmo as perguntas feitas pelo público atingissem as necessidades de um maior número de pessoas. Como isso nem sempre era possível, também foi criado um material impresso voltado para atender desde o carteiro até à diretoria da corporação. "A segunda fase que está prevista para acontecer em 2004 irá incluir a realização de oficinas profissionalizantes e de cursos de geração e aumento de renda", complementa.

Quando questionada sobre a receptividade dos funcionários dos Correios em relação ao projeto, a assistente social afirma que essa tem sido positiva. "O projeto vem ao encontro das necessidades dos funcionários para a obtenção de uma melhor qualidade de vida, sendo oportuno diante da realidade sócio-econômica do país. Os resultados do projeto ainda estão sendo medidos devido aos ajustes do orçamento familiar, que deve ser feito de forma gradativa na vida de cada funcionário", conclui.

Palavras-chave: | finança | Correios |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (1)
Altemir Farinhas em 08/05/2009:
Patricia, esse trabalho também é desenvolvido a muito tempo em Curitiba. É muito gratificante trabalhar com a equipe dos Correios de Curitiba, Jociane, Gilvana e Katie. Eu dou palestras motivacionais sobre Educação Financeira o que faz com que as pessoas se inscrevam para fazerem os cursos. Como instrutor vejo que depois das palestras as pessoas estão mas receptivas e os cursos fluem muito bem. Não estamos lá para dar sermão e sim para aprender ensinando. Abraço Altemir Farinhas Equilibrio Financeiro Finanças Pessoais

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Programa de Autodesenvolvimento

3ª Jornada Virtual de Recursos Humanos



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.